sábado, 14 de novembro de 2015

Paris


Pela segunda vez neste ano, todos nos unimos perante uma tragédia em terras francesas. Fiquei incrédulo ontem quando me apercebi do que estava a acontecer em Paris. Assim que ouvi que o Estado Islâmico tinha reivindicado a autoria dos atentados tremi, lembrei-me dos planos deles para conquistar Al-Andaluz (Península Ibérica) e temi o pior.

A Europa (ou a sua maioria) abriu a porta a milhares de refugiados que fogem da Síria e afins à procura de melhores condições e a fugir à guerra. São muitas as vozes que se levantam a avisar que no meio de pessoas boas virão também pessoas más. E creio que está à vista o que a bondade europeia fez. Cheira-me que não vamos ficar por aqui (infelizmente).

Atenção! Não critico nenhum muçulmano nem tento generalizar! Apenas partilho a minha opinião que poderá (ou não) chocar alguns. Mas é um facto. Creio que com os acontecimentos de ontem em Paris, a União Europeia acabou de levar uma facada mortal num dos seus pilares bases: a livre circulação de pessoas e bens; o Acordo de Schengen será provavelmente revisto e quem sabe terminado e as fronteiras repostas.

Não podemos deixar que isto ocorra. Este pesadelo tem de acabar.

Aujourd'hui, je suis parisien. Aujourd'hui et toujours, je suis pour la liberté, l'égalité et la fraternité.

#prayforparis

Kisses & Hugz,

Little Tiago Boy

Sem comentários: