domingo, 13 de março de 2011

Rescaldo Manifestação GAR - Lisboa



Correu muito bem. Superámos os números de confirmados no Facebook em larga escala!


300 mil pessoas em Lisboa, 80 mil no Porto, 1000 em Ponta Delgada e tantos mais espalhados pelo país e pelo mundo fora!

Agora não podemos parar, temos de contar e lutar por um Portugal melhor, um Portugal digno, um Portugal nosso!

O movimento agora passa por aqui.

Eu orgulho-me de ter estado presente no dia 12 de Março de 2011. Eu faço parte do Movimento 12 de Março. E tu? Ficas a ver ou participas?

Passo II - Movimento 12 de Março
Dia 12 de Março ficará como a primeira pedra que lançámos para a construção do edifício-futuro. Pedra preciosa e simbólica. Na qual se suportarão os alicerces de algo maior.
Algo de novo, que una e não divida algo que nos coloque a nós, Portugueses, seres humanos, na rota de uma existência mais justa, solidária e feliz.
A pureza do que aqui temos não se pode perder, a força da vaga não pode esmorecer no areal, há que entrar terra adentro. E levar estas ideias através da distância.
Nós tudo podemos. Disse. Agora mais do que nunca Sei.
Dia 12 de Março mostrou-nos a capacidade de mobilização de um povo, o desejo inquestionável de trabalhar para o bem comum. Fomos, na rua, cúmplices sem temores de apresentarmos as nossas ideias, de as gritarmos a pleno coração no perfeito espaço incompleto da rua. Debatemos, discutimos e levantámos o punho em afirmação de um povo capaz.
Agora urge continuar.
Diversas vontades nos animam, diversas rumos intuimos. Urge não desmobilizar mas urge também não represar o pensamento e a acção que da rua irromperam.
Urge não restringir. Urge criar condições para que todos os afluentes daqui resultantes fluam livremente para o mar.
E é esse mar que vejo, agora, como o objectivo a alcançar. Até lá chegarmos há muito leito a percorrer, até lá chegarmos moldaremos a paisagem, mas será ali, nesse mar que desembocaremos todos.
Trata-se aqui de cartografarmos de novo um país, fisica e humanemente.
Trata-se aqui de convergência mas não homogeneização. Das nossas diferentes perspectivas, dos nossos diversos campos de intervenção, tijolo a tijolo construirmos um edifício sólido onde todos temos lugar, de que todos cuidaremos. A casa de um povo consciente de que é capaz de ser aquilo que quer e merece: Livre.
Assim sendo, após alguma reflexão, apresento um rascunho de futuros passos a dar, os quais deixo à consideração de todos aqueles que partilhem do espírito de aventura que anima todo e qualquer viajante. Porque é disso que aqui se trata, uma viagem rumo a um novo território, o do Bem.
Ponto #1 – recuperar o espírito da ágora, organização de tertúlias, encontros, debates, acções, nas, nossas vilas e cidades, criando condições para que organizações, associações e o cidadão comum partilhem experiências, ideias e soluções. Todas estas intervenções, associações e grupos resultantes encontrariam casa num movimento comum a todos, num movimento, sem líderes, que seria, fundamentalmente, um agregador de vontades e reivindicações.
Para este convergir sugiro que adoptemos o nome de Movimento 12 de Março.
Ponto #2 – Que destes encontros regionais se começasse a desenhar um manifestação das diversas correntes de pensamento, dos diferentes campos de intervenção, da economia à educação, da saúde à agricultura, da cultura à solidariedade. Uma manifestação para o próximo dia 25 de Abril, que se desejaria o mais representativa possível das diferenças que nos unem. Uma manifestação, um movimento, que transportasse em si um manual de propostas e reivindicações a apresentar à sociedade e instituições para que por estas seja discutido e encontre uma resposta concreta no prazo de uma semana até à celebração do feriado de 1 de Maio, onde seríamos novamente a rua, uma rua à escuta do retorno das nossas propostas.
Ponto #3 – Em paralelo dei já início à organização da iniciativa Caminhar Portugal, acerca da qual podem saber mais pormenores aqui: http://www.facebook.com/notes/artigo-21º/33-dias/168600879855470
Ponto #4 – Sugiro uma reunião geral, um grande fórum do Movimento 12 de Março, onde as portas se abrem a todos, onde todas as organizações e cidadãos interessados poderão contribuir para avaliarmos do percurso efectuado até lá e traçarmos um novo mapa para a mudança.
Sugiro que este fórum ocorra num espaço de tempo que permita que as acções anteriores possam dar fruto. Deixo uma data para o mesmo: o fim de semana de 10, 11 e 12 de Junho.
Caminhemos. Juntos.

2 comentários:

um coelho disse...

É importante é que isto não caia no esquecimento.

Fernando Miguel disse...

Olá boa tarde, concordo com tudo o que dizes, e mais do que nunca apetece criar um movimento por um Portugal digno, justo, com valores, sem corrupção, solidario! Mostrar aos que governam que os exemplos devem partir de cima, de quem tem o poder! Com uma tão elevada taxa de abstenção nas ultimas eleições, deveremos mostrar a quem manda que o povo também tem poder e que não se revê nos valores governativos que procuram o lucro facil deixando dividas atrás de dividas, e os pobres cada vez mais pobres. Pelo povo junto e solidário, pois é o povo quem deve mandar em democracia. Cumprimentos.